Web Radio Cidade

Domingo, 14 de Julho de 2024

Policial

Advogados da região são alvo de mandados de busca e apreensão, prisão preventiva e suspensão das atividades

As ordens judiciais estão sendo cumpridas nas cidades de Joaçaba, Capinzal, Ouro, Água Doce e Piratuba.

Web Rádio Cidade
Por Web Rádio Cidade
Advogados da região são alvo de mandados de busca e apreensão, prisão preventiva e suspensão das atividades
IMPRIMIR
Espaço utilizado para comunicação de erro nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Na manhã de quinta-feira (13), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) e o Grupo Estadual de Enfrentamento a Facções Criminosas (GEFAC) deflagraram a Operação "BALTHUS", em apoio à investigação conduzida pela 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Joaçaba.

A operação é resultado de investigações que iniciaram há mais de um ano. Em consequência, o GAECO cumpre, nesta quinta-feira, 11 mandados de busca e apreensão, dois de prisão preventiva e três de suspensão cautelar do exercício da advocacia, expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Joaçaba.

A Operação Balthus recebeu esse nome em alusão a um tipo específico de nó de gravata, o "nó Balthus". No linguajar prisional, "gravata" é o termo utilizado pelos detentos para se referir aos advogados. O nome da operação reflete diretamente o foco das investigações: advogados suspeitos de abusar de suas prerrogativas profissionais para facilitar a comunicação, ou - sintonia-, entre os presos.

Esse processo de comunicação coloca a sociedade em risco e promove o crescimento e avanço contínuo de organizações criminosas, principalmente porque tem se tornado um método eficaz para o funcionamento do sistema de comunicação entre criminosos, garantindo que as informações ilícitas permaneçam sendo transmitidas, por meio de advogados, entre eles e para terceiros.

As ordens judiciais estão sendo cumpridas nas cidades de Joaçaba, Capinzal, Ouro, Água Doce e Piratuba. Participam da operação dois Promotores de Justiça e 24 Policiais integrantes do GAECO, e 10 viaturas estão sendo empregadas na operação. A investigação segue em segredo de justiça a fim de evitar que eventual publicidade dificulte a identificação de outros possíveis envolvidos.

Foto: Gaeco
FONTE/CRÉDITOS: MPSC
Comentários:
Web Rádio Cidade

Publicado por:

Web Rádio Cidade