Web Radio Cidade

Domingo, 14 de Julho de 2024

Policial

Réu é condenado a mais de 12 anos de prisão por tentativa de feminicídio em Ipira

Júri popular foi realizado em Capinzal. O denunciado já estava preso e assim irá continuar.

Web Rádio Cidade
Por Web Rádio Cidade
Réu é condenado a mais de 12 anos de prisão por tentativa de feminicídio em Ipira
IMPRIMIR
Espaço utilizado para comunicação de erro nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O júri popular realizado em Capinzal, na quinta-feira, dia 14, terminou com o réu Abener Bueno, condenado a mais de 12 anos de prisão, em regime inicialmente fechado, pela tentativa de feminicídio contra a ex-companheira, Andriéli Longo. O crime aconteceu em nove de dezembro de 2022, em Ipira. 

O júri foi realizado na Câmara de Vereadores de Capinzal e começou às 9h. A leitura da sentença foi por volta das 19h, pelo juiz Caio Lemgruber Taborda, que presidiu a sessão. Já o Conselho de Sentença, os jurados, foi formado por três homens e quatro mulheres e acolheu a denúncia do Ministério Público, incluindo as qualificadoras em que  o réu agiu por motivo fútil, com recurso que dificultou a defesa da vítima, além do feminicídio. 

O Promotor Douglas Dellazari, que atuou na acusação, afirmou que ficou satisfeito com o resultado do julgamento. Os advogados Elcio Ahruke Uchida e Luiz Vicente de Medeiros defenderam o réu e devem recorrer da decisão. O réu permanecerá recolhido ao Presídio. 

O crime

A denúncia do Ministério Público, apontou que Andriéli e Abener tiveram um relacionamento por cerca de um ano, tendo terminado em 2022. Ele não aceitava o término e no dia nove de dezembro de 2022, por volta das 22h35, o denunciado foi até a casa da ex-companheira para tentar reatar, mas ela não quis.

Ainda segundo o Ministério Público, Abener pediu se Andriéli não tinha medo da morte. A mesma pediu para que ele saísse da residência, mas o mesmo não acatou o pedido. Com isso, Andriéli pegou seus pertences para sair de casa, momento em que Abener pegou uma tesoura e atingiu Andriéli no pescoço. Após o crime, Abener fugiu.

Andriéli foi socorrida por vizinhos até a chegada do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Ela sofreu ferimentos graves e foi encaminhada ao Hospital de Piratuba/Ipira. Após, foi transferida ao Hospital São Francisco de Concórdia, passando por cirurgia e permanecendo internada por quatro dias na Unidade de Terapia Intensiva. Alguns dias após o crime, Abener se entregou na Delegacia da Polícia Civil de Ipira.

FONTE/CRÉDITOS: Eder Luiz
Comentários:
Web Rádio Cidade

Publicado por:

Web Rádio Cidade